Festival mantém viva a tradição dos repentistas no Mossoró Cidade Junina

Por diversos motivos, o Mossoró Cidade Junina é o São João mais cultural do Brasil. Um deles é o Festival de Repentistas do Nordeste, realizado na noite desta sexta-feira (23) e que, neste ano, chega a sua XVII edição. O Festival reúne os melhores repentistas do Rio Grande do Norte e do Nordeste e mantém viva essa tradição.
 
Coordenador do Festival, o professor e repentista Aldaci de França, destaca que  o repente e o Mossoró Cidade Junina se beneficiam dessa parceria. “O repente por ter um espaço de visibilidade e o Mossoró Cidade Junina por contar com um dos valores culturais mais emblemáticos do Nordeste”, ressalta.
 
Aldaci observa que a sanfona e o repente sempre estiveram muito juntos no período junino, desde os tempos do eterno Luis Gonzaga e da dupla Dimas Batista/Otacílio, que se dividiam em apresentações pelo Nordeste inteiro. “A gente entendeu que não haveria um espaço melhor do que o Mossoró Cidade Junina para inserirmos o Festival de Repentistas como um projeto mais autêntico culturalmente”, exalta.
 
O evento contou com apresentação das duplas Hipólito Moura/João Lourenço, Antônio Lisboa/Edmilson Ferreira, Raulino Silva/Chico de Assis, Antônio Calixto/Damião da Silva e Aldaci de França/Raimundo Sobrinho, além de participações especiais de Concriz, Zé Ribamar e Zé Lima.
 
O aposentado Antônio Belarmino é um amante da cantoria nordestina e afirmou que todos os anos prestigia o Festival do Mossoró Cidade Junina. “Enquanto a prefeita fizer e eu estiver vivo, não perco de jeito nenhum”, garantiu.

Leave a Comment