Região Central e Seridó são destaques na estreia da Arena das Quadrilhas

Na noite desta sexta-feira, 15, o Mossoró Cidade Junina deu o ponta pé inicial no Festival de Quadrilhas da Arena Deodete Dias, localizada no Corredor Cultural da Avenida Rio Branco. O festival foi iniciado com o Concurso Estadual de Quadrilha Estilizada, e esta etapa só será encerrada no próximo domingo, 17, com a final que deverá reunir as melhores quadrilhas que disputarão o título de Campeã Estadual de Quadrilha Estilizada. Na noite de estreia duas quadrilhas, uma de Lajes, e outra de Caícó, empolgaram os espectadores que foram para a arena.

A primeira a se apresentar foi a Quadrilha 100% Ferroviário, da cidade de Lajes. O grupo junino colocou na quadra 28 pares que desenvolveram o tema “Saltimbancos Juninos”, uma adaptação do musical infantil com pinceladas de festa junina. Os animais do musical se misturavam com as figuras da tradição junina, como o casal de noivos e a rainha do arraiá. A quadrilha já possui 16 anos de produção, estrada e festivais. A componente mais marcante foi a marcadora que também é a coreógrafa do grupo. Isabele Lima, além de atuar em duas funções distintas, ainda representa a luta contra o preconceito por se tratar de uma mulher trans.

“Geralmente os marcadores de quadrilhas são homens, e a mulher nessa função já é uma situação não muito comum, imagine então uma mulher trans. O mundo junino é um mundo que abraça a diversidade, em que há o respeito, dignidade e o que precisa acontecer de verdade é que tudo isso não dure apenas no mês de junho, e sim o ano todo. Me sinto muito honrada em fazer parte de um grupo como coreógrafa e marcadora e ser respeitada pelo meu trabalho. A 100% Ferroviária me muito feliz”, celebrou Isabele Lima.

A quadrilha da cidade de Caicó, Junina Caiacós, é novata nos festivais. O grupo seridoense, em seu primeiro ano de apresentação, possui 26 pares, e logo no ano de estreia fez uma homenagem a cidade natal com o tema “Mitos e devoção – A história de Caicó contada no São João”. A formação da cidade e sua religiosidade católica em torno de Sant’Ana dão o tom a apresentação. O diferencial do grupo caicoense é o regional (banda que executa o repertório) que durante toda a apresentação está integrada a quadrilha através dos vocalistas que cantam ao mesmo tempo que coreografam com os outros componentes da quadrilha.

Jorge Costa e Lourrara Tayane são vocalistas do regional de quadrilheiros da Junina Caiacós

“Apesar de ser o primeiro ano de quadrilha do grupo nós sempre fizemos parte do mundo junino, sempre dançamos nos arraiás. E por ser cantora e eterna quadrilheira junina a ideia de juntar uma coisa à outra deu muito certo. Ao mesmo tempo que estamos cantando e dando voz ao nosso regional eu estou junta aos outros quadrilheiros vivendo a quadrilha através do figurino, e da coreografia na evolução do grupo. Fazer as duas coisas que eu amo torna tudo isso uma grande diversão”, afirmou Lourrara Tayane, vocalista do regional e quadrilheira da Junina Caiacós.

“Estamos muito felizes com a repercussão positiva da nossa quadrilha logo em seu primeiro ano. E poder contribuir com o meu grupo através da música no regional e também como integrante da quadrilha nos motiva a fazer sempre o melhor executando o repertório sem esquecer de acompanhar a coreografia junto aos outros quadrilheiros. E por onde passamos com nossa apresentação sentimos a aprovação do público com o nosso trabalho. Estamos muito felizes com esse ano de estreia da quadrilha”, comemorou Jorge costa, vocalista do regional e quadrilheiro da Junina Caiacós.

 

Leave a Comment