Público lota penúltima apresentação do Chuva de Bala no País de Mossoró 

Com todas as apresentações lotadas, a edição 2019 do Chuva de Bala no País de Mossoró emocionou pessoas de todas as idades e lugares, que vieram assistir ao espetáculo que retrata a resistência de Mossoró ao bando de Lampião. A penúltima apresentação realizada nesta quinta-feira (27), não foi diferente e atraiu um público de cerca de 2 mil pessoas.

Na plateia, a mossoroense Cláudia Maia, conta que veio do Texas para aproveitar o período do Mossoró Cidade Junina e rever a família e os amigos. Acompanhada do filho e do sobrinho, a mossoroense destaca a qualidade da produção artística. “O Chuva de Bala esse ano superou todas as expectativas, me senti na Europa. Muito artístico a homenagem a Antônio Francisco”, destacou.

Vitório Alves, vendedor autônomo, também veio com a família assistir ao Chuva de Bala. “Hoje quero mostrar as minhas filhas a nossa história e cultura. É a segunda vez que a gente veio assistir ao espetáculo esse ano. Dessa vez trazendo as filhas”, frisa.

Cantor Israel Novaes se encanta com espetáculo que conta a história da Resistência de Mossoró contra o Bando de Lampião

Uma das atrações principais do Polo Estação das Artes, nesta quinta-feira (27), o cantor paraense Israel Novaes fez questão de assistir ao espetáculo Chuva de Bala antes de sua apresentação. O artista se encantou com a qualidade artística da encenação. “Eu confesso que há muito tempo vontade de vir. Já tinha ouvido falar da história, mas ainda não tinha tido oportunidade de conhecer. Realmente é incrível, sem falar na estrutura de palco, iluminação, a forma com que os artistas se comportam e se apresentam. E tudo isso é encenado no lugar onde de fato isso realmente aconteceu. Isso traz uma verdade muito maior. É como se eu me sentisse naquele lugar. Estou pasmo, com tanta criatividade e tanta cultura em um lugar só”, ressaltou.

Fã de história, o cantor relembrou das histórias que escutava quando criança e expressou a vontade de trazer o pai para assistir ao espetáculo. “Eu saio de Mossoró carregando muita emoção. Meu pai sempre me contava muitas histórias do cangaço. E assistir esse espetáculo foi um momento fantástico. Eu quero trazer ele aqui para ver essa história. Eu sou apaixonado pela história. Vou sair daqui com uma perspectiva bem diferente de só fazer uma apresentação, estou levando muito mais do que eu trouxe”, concluiu.

Leave a Comment